Sindicato do Jazz

 

Jean Baptiste Illinois Jacquet, saxofonista, nasceu em Broussard, Louisiana, no dia 31 de outubro de 1921 e veio a falecer em 22 de julho de 2004, aos 81 anos, em New York City, vítima de parada cardíaca.

 

Embora tenha nascido na Louisiana, Illinois cresceu na tradição texana, pois ainda adolescente mudou-se para Houston, onde teve sua educação musical, cercado de parentes próximos de tradição musical.

 

Jacquet subiu pela primeira vez em um palco com apenas três anos! Foi se apresentar dançando no grupo de sapateado de seu pai.

 

Ainda jovem, aprendeu a tocar bateria e saxofone alto. Até eleger o sax tenor. Foi da seção de saxes da Orquestra de Lionel Hampton e tocou na Count Basie Orchestra. Tocou ainda no grupo de Cab Calloway e fez parte da série Jazz at the Philharmonic.

 

Nesta época fizeram fama seus solos, que eram adorados pelo público mas recebidos com estranhamento por parte da crítica.

 

Embora tenha sido criticado e subvalorizado por causa do seu jazz mais comercial, Illinois Jacquet deve ser lembrado como um dos mais importantes ícones de escola do saxofone no jazz, cuja influência transborda o rhythm and blues dos anos 50-60 e chega até alguns vanguardistas do jazz, como Pharoah Sanders e George Adams.

 

O mais importante de sua personalidade de jazzman foi o tipo de som e de harmonias que conseguia extrair de seu instrumento, caracterizado pelo som dos honkers (apelido que recebiam os saxofonistas que imitavam a voz de patos selvagens).

 

Um músico que possuía o sentido do blues na alma e proporcionava um swing inimitável ao seu público.

 

O primeiro disco de Illinois Jacquet como líder saiu em 1951. Nos anos 70 e 80 foi para a Europa. Voltou para os EUA em 1984, como professor visitante na Universidade de Harvard.

 

Além de músico e professor, Jacquet possuía um carisma espetacular e uma humildade infalível.

 

“No tipo de música que faço você não envelhece, porque se leva uns 50 anos para aprender como se toca isso”, dizia o irriquieto saxofonista.

 

Illinois Jacquet ficou famoso com o seu solo de 64 compassos gravado no tema que deu o nome ao disco “Flying Home”, de Lionel Hampton, o qual ficou conhecido como o primeiro solo de rhythm and blues da história do jazz.

 

Não era frequente que uma gravação de música de Jazz se tornasse um grande sucesso comercial e isso é válido até os dias de hoje.

 

Nesse disco, lançado em 13 de fevereiro de 1964, encontramos músicos unidos e bem dispostos a levar o melhor do jazz até a imaginação de seus ouvintes.

 

Os americanos têm o jazz, os brasileiros o choro e os argentinos o tango: é nesses estilos que os instrumentistas mais liberdade têm para improvisar, mostrar seu virtuosismo e romper as barreiras da música.

 

Jacquet só pode ser descrito de uma forma: uma lenda.

 

 

Vídeo: Maison de L´ORTF (1973).

 

 

 

Músicas:

01. When My Dreamboat Comes Home

02. Desert Winds

03. Star Eyes

04. Blues for the Early Bird

05. Lester Leaps In

06. You’re My Thrill

07. Canadian Sunset

 

 

Músicos:

Illinois Jacquet (sax)

Kenny Burrell (guitarra)

Tommy Flanagan (piano)

Willie Rodriguez (bongôs e conga)

Wendall Marshall (baixo)

Ray Lucas (bateria)

 

 

Ouça abaixo o programa na íntegra.

 


 

 

error

Curta, compartilhe e comente!