Giro Musical

SENTINELA QUASE ATIRA EM SOLDADO!

Em 1944, o Brasil enviou sua força expedicionária (FEB), um contingente de 25 mil homens, a monte Castelo, na Itália. Em uma daquelas noites tenebrosas, na volta de uma patrulha, […]

Publicado por Redação em 20/06/2015 às 12:39

09_feb_segunda_guerra_mundial_13-11.jpgEm 1944, o Brasil enviou sua força expedicionária (FEB), um contingente de 25 mil homens, a monte Castelo, na Itália. Em uma daquelas noites tenebrosas, na volta de uma patrulha, um nervoso soldado virou para o sentinela e disse: “Esqueci a senha. Mas sou brasileiro, não está vendo?” Então o sentinela, engatilhando a arma, ordenou: “É brasileiro? Canta um samba.” E o expedicionário cantou, de pronto, um samba de Atalulfo Alves e Mário Lago: “Covarde sei que me podem chamar/ porque não guardo no peito essa dor/ atire a primeira pedra ai ai ai/ aquele que não sofreu por amor…”, livrando sua pele. Esse diálogo, relatado no livro do professor Arthur Loureiro de Oliveira sobre os 500 anos de Música brasileira.

Última atualização em 29 de janeiro de 2020

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

19 − 17 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comente e Compartilhe nas Redes Sociais!